sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

"Um vaga-lume lanterneiro que riscou um psiu de luz" *

Ou ainda como diria o gênio, “tênue tecido alaranjado passando em fundo preto da noite à luz” *. De qualquer forma, luz. Foi luz e passou à velocidade dela. Foi rápido e intenso como devem mesmo ser as paixões. E os orgasmos... Sapiência da natureza para que não padeça o corpo que meneia a alma.

Imagino que ainda passe por essas bandas olhando pela abertura da fechadura e sentindo comigo o “aeiouar”* dos ventos que aqui sopram. De novo, sou capaz de apostar que ainda me lê tentando decifrar o indecifrável e desvendar os segredos daquilo que já foi divulgado, do que não tem mistério. Divirto-me fantasiando que, até então, suponha de maneira encantadoramente pretensiosa que falo dele nas suspeições que tenho a respeito do mundo, das suas coisas e dos seus sentidos.

Riscos das mentes metafóricas que dificultam o evidente e desembaraçam o obscuro. Deformidade, vício ou dom? E é com essa noção vacilante que sou capaz de duvidar que, justo aqui, esteja convicto de que falo de você, para você, para celebrar a sombra rosa da saudade que a lembrança projeta nas páginas em branco. Outra história vai sendo escrita em uma nova página. A borracha apagou algumas letras traçadas (bem traçadas) mas, mesmo assim, deixou a marca do que foi contado à lápis. Teria mesmo que ser. Aquilo foi um rascunho cuidadoso para o Best-seller que pode vir a seguir. Ou não. Sim ou não; para mim ou para você. Quem sabe para os dois...

Não tenho certeza de nada, mas desconfio que a amizade não se abalou. Fomos sinceros, fomos intensos, mesmo sendo sonhadores irremediáveis. Talvez, por isso mesmo seja, nos divertimos tanto! Como numa roda gigante de um parque de diversões. As luzes que nela piscam à noite são, evidentemente, vaga-lumes; aqueles do "psiu de luz". Alegria, adrenalina, frio no estomago! E sem passar mal ao descer do brinquedo.

Por Elga Arantes, 2009.

*citações de Guimarães Rosa





http://www.mp3tube.net/musics/Chico-Buarque-Fernanda-Porto-Roda-Viva-Aprenda-a-baixar-as-musicas-do-site-spartanbryahoocombr/10470/

4 comentários:

sblogonoff café disse...

Que droga, eu não terminei de ler seu post ainda, mas acabei de postar no sblogonoff algo sobre significados. Então venho aqui e leio: "Imagino que ainda passe por essas bandas olhando pela abertura da fechadura e sentindo comigo o “aeiouar”* dos ventos que aqui sopram. De novo, sou capaz de apostar que ainda me lê tentando decifrar o indecifrável e desvendar os segredos daquilo que já foi divulgado, do que não tem mistério... "
E então eu te odeio.

sblogonoff café disse...

Bão Creuza, eu adorei a estética do seu texto, pra variar...
E continuo te odiando.
Não me sinto tão credenciada para comentar o conteúdo, de qualquer forma,aprendi que na vida, os rascunhos são melhores que os próprias edições!

Viva a luz dos vaga-lumes!!!

Sou eu de novo... disse...

Elga.

Mais uma vez, não consigo dormir.
Saio porta fora e subo a rua, olho as estrelas sob os meus pés relembro coisas certas que eu transformei em erradas.

Já vivi, já amei, já perdi, já paguei dívidas, Já estive no inferno e voltei
E dentre tudo isso você sempre foi minha melhor amiga.
Por todas as palavras que eu não disse e todas as coisas que eu não fiz
hoje vou encontrar um jeito.

Eu estou aqui por você, se você apenas se importar.....

Você tocou meu coração, tocou minha alma.
Você mudou minha vida e meus objetivos
Conheço o seu cheiro, eu estive viciado em você.

Sonhar é uma perda de tempo quando olho o que a vida vem se tornando, tudo que faço é amar você
Eu já te vi chorar, eu já te vi sorrir.
Te observei dormindo por um instante.
Eu passaria uma vida inteira com você.
Eu conheço seus medos e você conhece os meus.

E eu te amo, juro que é verdade
Eu não posso viver sem você
Não estou pedindo uma segunda chance,
Estou gritando com toda minha voz
Não me dê escolha, só me dê razão.

Consegui escrever seu nome hoje..

Quando você fechar seus olhos, saiba que estarei pensando em você.
Então diga sim ou não, mas não me ignore mais...
E por favor, não diga que não me conhece,seria uma dor impossível de suportar...

Não me ignore mais... por favor..

Bel disse...

"... Riscos das mentes metafóricas que dificultam o evidente e desembaraçam o obscuro. Deformidade, vício ou dom?"

Isso é uma obra de arte!

Sinto daqui a força do vento, os rodopios da alma no centro do furacão, a música que embala esse rodopio frenético, os suspiros de quem te teve tão perto que ficou impossível se desapegar. A roda gigante no centro do universo e a força da gravidade sendo testada a cada segundo.

Querida ... as jóias sempre serão eternas.

A força do que te foi escrito me fez pensar sobre o que mais me mobiliza: o amor! Só ele tranforma e cura.

Um beijo e minha melhor torcida!

Sininho.