quarta-feira, 5 de novembro de 2008

"O silêncio das estrelas" *


"Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um deus e amanheço mortal

E assim, repetindo os mesmos erros, dói em mim
Ver que toda essa procura não tem fim
E o que é que eu procuro afinal

Um sinal, uma porta pro infinito irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais
Afinal, como estrelas que brilham em paz

Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um deus e amanheço mortal

Um sinal, uma porta pro infinito irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais
Afinal, ser um homem em busca de mais"




*Música de Lenine e Dudu Falcão (Feita prá mim; tenho quase certeza, rs!)

9 comentários:

Elga Arantes disse...

Michele (Estrela), parece até uma indireta para vc, né? rsrsrsrs... Brincadeira!!! Sei que está sem tempo.

Essa música, como muitas do Lenine, é uma delícia de ouvir. Dá uma paz, vontade de ouvir de novo, de novo. Depois de pensar nela; de novo e de novo. Depois de escutá-la, mais uma vez... e de novo, de novo! Entendeu?

Karen disse...

Eu realmente ia falar isso! Lenine é FODA! com o perdão da palavra.
E isso tem tudo a ver com o que falamos hoje.

bjs

Você sabe quem... disse...

Roube meu coração e mantenha-me calado
Eu sinto que minha hora, minha hora chegou
Deixe-me entrar, destranque a porta
Nunca me senti desse jeito antes

E as rodas continuam girando
E os tambores começam a soar
Não sei que caminho estou seguindo
Não sei por qual caminho eu vim

Segure minha cabeça dentro de suas mãos
Eu preciso de alguém que entenda
Eu preciso de alguém, alguém que escute
Por você eu esperei todos esses anos

Por você eu esperaria
Até o fim dos tempos
Até os meus dias
Meus dias terminaram
E diga que virá...
E me libertará
Apenas diga que esperará
Esperará por mim

Em suas lágrimas e em seu sangue
Em seu fogo e em sua inundação
Eu ouvi você rir, eu ouvi você cantar
E eu não mudaria nada

Sheyla disse...

Elga,
O que dizer de Lenine, heim?
Gosto, gosto e gosto muito!!!
Já vivi uma história que uma composição dele também falava pra mim, rs...
Concordo totalmente com as palavras da karen.
Bjs.

sblogonoff café disse...

Ei!
Rsrs! (apenas estou sorrindo!)
A minha questão é: em busca de mais o quê?!!
Muitas vezes, as estrelas que brilham em paz, já nem existem mais faz tempo.
Como a luz demora, meu Deus. E como é tão veloz. Como tudo está tão perto.E que distância é esta?!
Lenine é o Cara e sempre vem com uma avalanche de memórias.
Estou no meio de tanta gente e quase que um pouco só.
Vou ouvir again and again and again...

Elga Arantes disse...

Ele é "o cara", mesmo!!!

"Você sabe quem...", apesar de sua aposta, não sei quem é vc, não. Mas, gostaria muitíssimo de saber. Belíssimas palavras! Minha curiosidade agradeceria se desse, ao menos, mais uma pista...

Elga Arantes disse...

Uma Maria das três,

A questão de muitos é, justamente, a exposta por Lenine: “E o que é que eu procuro, afinal?”

As estrelas não existem faz tempo! “Descansam em paz” e a gente se desgasta no caos.

Ainda não somos capazes de acompanhar a velocidade da luz e precisamos, sobremaneira, da grotesca materialidade para sentir presença; anular a distância. Ela pode, inclusive, nem existir...

"Uma porta pro infinito irreal"

Vc sabe quem sou disse...

Já que insistis, confesso aqui, assim é o meu amor.

Não vos zangueis, que do fato de ser por mim amada, mal nenhum lhe advirá.

Não a persigo com nenhuma insistência presunçosa, nem desejo alcançá-la sem que tenha chegado a merecê-la, muito embora não saiba como merecê-la possa.

Sei que amo em vão, e inutilmente luto contra toda esperança.

Apesar disso nesse crivo capcioso e insustentável não paro nunca de deitar as águas do meu amor, sem que jamais se esgotem, porque a perdê-las venha sem descanso.

Persistente na minha ilusão pia, o sol adoro que me olha sem tomar conhecimento de seu humilde crente.

Karen disse...

nossa....
agora todo mundo quer saber quem disse...rsss
a torcida?? hahaah